Documentário: Geração Tela – Uma Geração Doente?

Pesquisas mostram efeitos da exposição às telas no cérebro das crianças

Crianças focadas em telas no documentário ‘Geração Tela – Uma Geração Doente?’ (Foto: Divulgação/Curta!On)

Em tempos de uso exagerado de telas em suas mais diversas modalidades — TVs, smartphones, tablets, computadores, entre outras — muito se tem questionado sobre as consequências dessa exposição. Quais os achados dos cientistas que estão estudando esses efeitos no cérebro? Essas são algumas questões tratadas no documentário francês “Geração Tela — Uma Geração Doente?”, do diretor Raphaël Hitier, que estreia no canal Curta!

O filme mostra que psicólogos e pediatras vêm detectando alterações comportamentais em crianças demasiadamente expostas às telas, como atraso no desenvolvimento da fala, déficit de atenção, transtornos no humor e problemas de interação. Depoimentos de professores de neurociência, de psicologia infantil e de ciências comportamentais, entre outras áreas, explicam por que os estímulos da TV, de videogames, de tablets e de celulares causam tais distúrbios e como a ciência está produzindo estudos sobre isso.

Uma das experiências mostradas no filme foi feita com ratos recém-nascidos, submetidos a algumas horas diárias de estímulos audiovisuais. Mais tarde, ao serem colocados num recipiente de vidro, eles caminham de modo impulsivo por todo o espaço, enquanto os ratos que não receberam estímulos iguais aos da TV exploram o espaço com mais cautela, andando pelos cantos.

Em “Geração Tela” é explícita a recomendação dos cientistas de que se evite expor crianças com menos de três anos a esses estímulos e que o uso dessas tecnologias seja restrito a 60 minutos para crianças de até cinco ou seis anos. No entanto, ainda segundo os estudos apresentados, crianças em idade pré-escolar passam entre quatro e seis horas diárias em frente a algum tipo de tela, ou seja, mais de um terço do tempo que permanecem acordadas, configurando um grande problema para sua saúde e para a sociedade como um todo — afinal, esse impacto pode comprometer toda uma geração. A estreia é na Quinta do Pensamento, 1º de abril, às 23h.

Direção: Rodrigo Séllos. Duração: 52 min. Classificação: Livre.
Horários alternativos: 02 de abril, sexta-feira, às 03h e às 17h; 03 de abril, sábado, às 11h; 04 de abril, domingo, às 20h35; 05 de abril, segunda-feira, às 11h.

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *